domingo, 16 de setembro de 2012

As Obras dos Nicolaítas – Apostolado Moderno


A quem você segue? Valdomiro Santiago, R. R. Soares, Miguel Ângelo, Renê Terra Nova? Quem é o líder de sua igreja? De que boca parte a palavra profética e a revelação que você segue? Gostaria que você fosse ousado o suficiente para refletir comigo estas poucas linhas. Gostaria que você entendesse o significado de hierarquia e a sua real abrangência na igreja cristã e que entendesse qual o nome mais importante, aquele que está acima de todo o nome, nos céus, na terra e embaixo da terra.

Certa ocasião os discípulos de Jesus disputavam entre si sobre quem seria o maior entre eles, o Mestre assim respondeu: "Os reis dos gentios dominam sobre eles, e os que têm autoridade sobre eles são chamados benfeitores. Mas não sereis vós assim; antes o maior entre vós seja como o menor; e quem governa como quem serve"  (Lucas 22 : 25-26), e ainda completou: "Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos"  (Mateus 20 : 28).

É possível imaginar alguém que veio para servir, para ser o menor, andando (ou possuindo) carros suntuosos, cercador de glamour e seguranças, vestidos nos mais caros “armanis” e pregando em templos riquíssimos e gloriosos? Do Templo, disse Jesus que não ficaria pedra sobre pedra, e das riquezas disse Jesus “quão difícil entrar no Reino de Deus os que a possuem” (Mateus 24: 2; Marcos 10: 24).

Talvez alguém indague, mas Paulo disse que: "E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores"  (Efésios 4 : 11), então Paulo indicou uma certa hierarquia. Então é preciso haver um certo comando na igreja, Paulo mesmo se denominou “Apóstolo”.

Paulo não aferia sua autoridade no apostolado, antes dizia-se o menor de todos, e que vantagem havia em ser apóstolo e andar em “cadeias e prisões” (Hebreus 11. 36)? Paulo mostra em Efésios 4. 11, os diversos tipos de chamados Divinos, as comissões do Espírito Santo: "E ele mesmo deu uns para apóstolos”, ou seja – missionários, “e outros para profetas” - pregadores da Palavra, “e outros para evangelistas” - ganhadores de almas, “e outros para pastores” - aqueles que apascentam, “e doutores" – aqueles que se dedicam ao ensino.

Para que? Para receber bons salários? Para terem garantias de casa própria, ou uma boa aposentadoria? Não, mas para “o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo"  (Efésios 4 : 12).

Quem são então estes novos apóstolos e bispos (e bispas) da igreja moderna? Jesus, o bom mestre, responde claramente esta questão: "Assim tens também os que seguem a doutrina dos nicolaítas, o que eu odeio"  (Apocalipse 2 : 15).

O termo nicolaíta tem origem em duas palavras gregas: “nikê” – vitória com sentido de dominação(o mesmo nome daquela conhecida marca esportiva, NIKE), e “laos” - povo, significando aquele(s) que domina(m) sobre o povo, que exerce hierarquia sobre o povo comum. Jesus não ensinou nenhum tipo de hierarquia aos discípulos, nem ordenou tal coisa. Os apóstolos censuravam este tipo de atitude:  “Tenho escrito à igreja; mas Diótrefes, que procura ter entre eles o primado, não nos recebe. Por isso, se eu for, trarei à memória as obras que ele faz, proferindo contra nós palavras maliciosas; e, não contente com isto, não recebe os irmãos, e impede os que querem recebê-los, e os lança fora da igreja” (3 João 9-10, destaque acrescentado).

A que mestre você tem seguido? Jesus Cristo ou o “nicolaíta”? "Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade."  (Mateus 7 : 22-23)

"Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres. Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio."  (Apocalipse 2 : 5-6)

Pastor Tito Mendes

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

A igreja de Mercado e a igreja de Cristo


Vivemos em um mundo capitalista onde as duas maiores potencias mundiais o são em função da força do capital. O Brasil também vive uma bela economia de mercado em ascensão, citado como emergente e grande força econômica dos dias atuais. A filosofia principal do sistema capitalista é a força do consumo onde a relação produto e consumidor é a principal, onde o produto deve agradar e atrair o maior número de consumidores.
A igreja evangélica não tem sido diferente disso. Por estar inserida em um mundo capitalista ela também tem sobrevivido por seus métodos e se regido pelo sistema dominante, para tanto precisa ser uma igreja de mercado, ou seja, que possa atrair o maior número de consumidores (fiéis) por meio de atrações, exibições, atividades festivas, metro-pregadores, ídolos gospel, entre outros artifícios.

Estratégias da igreja de Mercado:

Atrair um povo místico, supersticioso, afeto a crendices, rezas e benzeduras com um pentecostalismo igualmente místico, com suas revelações, profecias, unções e bênçãos sobrenaturais.

Atrair um povo cobiçoso e avarento com promessas de riqueza e prosperidade.

Atrair um povo egoísta, orgulhoso e centrado no “eu”, com mensagens de auto-ajuda, de vitória pessoal, de cura e de determinação.

Atrair um povo festeiro de seus carnavais, festas e celebrações, com shows gospel, grandes eventos, marchas e  apresentação de astros evangélicos.

“E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.
 E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.
 E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.” 2 Pedro 2. 1-3
“Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.” Apocalipse 2. 4-5

Estratégias da igreja de Cristo:

Obedece a Cristo - "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém."  (Mateus 28 : 19-20)

Persevera na doutrina e na comunhão - "E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações."  (Atos 2 : 42)

Reconhece e combate o pecado - "Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade. Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado."  (I João 1 : 6-7)

Coloca Deus em primeiro lugar sempre - "Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas."  (Mateus 6 : 33)

Acostumados a situação capitalista às vezes tentamos vender até mesmo a Deus a nossa própria imagem como o personagem da parábola abaixo transcrita:

Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano.
O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira:
- Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo.
O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo:
- Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador!
Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado. Lucas 18. 10-14

Pastor Tito Mendes